Ficha - Pandora

Ir em baixo

Ficha - Pandora

Mensagem  Pandora em Ter Dez 20, 2011 12:22 pm

Desde já peço desculpa pela demora.


Nome: Pandora Guillory
Sexo: feminino
Data de nascimento: 09/04/1983
Nacionalidade: França
Local de treinamento: França
Signo: áries
Idade: 19

Personalidade: Fria, distante e indiferente ( tendo por exceção Hades, por quem tem cuidado especial). Alguém de poucas palavras, principalmente quando se trata de falar de si mesma. Um tanto insensível, gosta de ficar sozinha, ler e tocar sua harpa ou piano. Um pouco impulsiva, o que tenta controlar ao máximo. Sarcástica e com um humor um tanto negro é impaciente e por vezes arrogante. Contudo, pode ser agradável se assim o desejar.
Aparência: Longos cabelos ruivos, pele alva, olhos cinza. 1,60 de altura, curvas definidas. Um olhar frio e sem expressão na maior parte do tempo, mas que pode mudar se seu humor estiver muito alterado.
Observações Especiais: Comandante dos 108 espectros, capaz de utilizar o cetro para provocar ondas elétricas ao seu favor. Não costuma mostrar todo seu poder uma vez que sua prioridade é cuidar do Imperador Hades.

História: Primogênita da nobre família Guillory, cresceu e viveu na França tendo uma educação tradicional e rígida. Seu nome fora escolhido por seu avô, historiador que apreciava a mitologia grega, que faleceu meses depois de seu nascimento. Por ser a mais velha era-lhe exigido ser exemplo para a sociedade, ainda que não passasse de uma criança, bom comportamento e elegância eram requisitos dos Guillory. Não teve muito contato com seu pai, francês, e nem com sua mãe, que era grega. Apesar de nunca ter tido problema com os pais, não havia grande laço familiar entre eles. A ordem vem antes do amor, era esse o lema, e assim foi educada, para que não se deixasse levar pelas emoções. Isso até sua mãe anunciar a segunda gravidez, a notícia de mais um filho alegrou um pouco a residência, contudo não agradava a ideia de ter uma irmã a Pandora. Queria um irmão. Sempre desejara um menino como irmão mais novo, lhe soava mais agradável. Quisera o destino lhe dar os dois. "Gêmeos" anunciara, em uma bela manhã, o médico da família em visita. Seus pais continuaram conversando na sala de estar sobre os preparativos para as crianças quando Pandora dirigiu-se para a biblioteca, era o cômodo mais escuro, além dos livros havia uma grande harpa, jamais tocada. Passou os dedos pelo instrumento, pensando a respeito de ter uma irmã também, como que algo lhe incomodando por aquilo, parou assim que ouvir ser chamada. Avistou seu professor de música, que lhe sorriu de braços cruzados, 'Pandora...' repetiu, recebendo em resposta um aceno com a cabeça. Tinha cabelos claros, e apesar de bondoso com todos e extremamente educado, possuía algo fora do normal, um olhar que nenhuma outra pessoa possuía, extremamente sutil. Começara a ter aulas de piano a partir dos três anos e desde então ele estivera presente na vida familiar, o tipo que impunha respeito sem dizer uma só palavra. Naquele mesmo dia descobriria o porquê. Seu professor não era ninguém menos que Hypnos, deus do sono, aquele que lhe instruiria a cuidar de seu irmão. "Serás a irmã mais velha do imperador Hades, Pandora. E deverás cuidar dele, ser capaz de dar sua vida para protegê-lo", as palavras não pareciam fazer sentido no início, porém logo se tornaram convicção. A menina prometeu fidelidade àquele que nasceria, jurou lealdade ao seu pequeno irmão antes mesmo de vê-lo. Quando Renne e Sophia nasceram, Pandora se tornou extremamente protetora com o menino, chegando a ignorar a irmã. Era repreendida, mas não adiantava, era como se todo o carinho que poderia ter tivesse sido criado apenas para Renne. Não gostava de chamá-lo por aquele nome, mas Hypnos havia lhe dito que seria necessário por um tempo, e não havia como desobedecer Hypnos. Por cinco anos tudo ocorreu normalmente, viviam como uma bela família, sem grandes problemas, ela até aprendeu a ser mais agradável com sua irmã. Entretanto, ainda naquela época, era possível sentir o que estava por vir, uma guerra dentro de alguns anos, não poderiam dar-se ao luxo de esperar calmamente pelo despertar de Hades naquele lar perfeito demais em certos parâmetros. Hypnos se ausentou por algumas semanas, “problemas pessoais” alegou quando questionado, coincidiu pois com o aniversário de 6 anos dos gêmeos. Naquele mesmo dia, a noite, Pandora estava com seus irmãos no meio da sala, logo após a festa, quando um homem adentrou, nervoso, transtornado. Não gostara dele, ou apenas era implicância infantil, não saberia dizer. Ouviu-o dizer aos seus pais que precisavam conversar a respeito de Sophia e logo mais entraram no escritório. As vozes estavam alteradas, mas ainda assim ela não poderia dizer precisamente o que falavam, em meia hora viu seus pais saírem tristes e abraçarem sua irmã antes que o tal homem a levasse. Mas, no fundo sabia que chegaria o dia em que a veria novamente.

A estação seguinte não chegou para os Guillory, seus pais jamais comemorariam outro aniversário de algum de seus filhos. Era madrugada quando um incêndio se alastrou pela ala oeste do palácio, ninguém saberia dizer o motivo, mas logo todos os empregados tentavam apagar o fogo que queimava o quarto de seu amo. Pandora acordara a tempo de buscar Renne e correr para a antiga capela abandonada, esta tinha todas as imagens quebradas, encontrava-se suja, os vidros escuros e o fogo presente em parte do palácio refletia suas chamas no pequeno lugar, preenchendo-o de laranja e vermelho. Abraçou seu irmão com força, enquanto este chorava murmurando palavras incompreensíveis, fitou a única estátua inteira, no centro do pequeno púlpito, não era um santo, era uma obra grega, e chorava sangue. Abafou um grito em sua garganta, não permitindo Renne olhar na mesma direção.

Quando conseguiu pensar com clareza estava ao lado de Hypnos, segurando seu irmão pela mão, olhando para o palácio reconstruído, alguns meses depois da tragédia que matou seus pais e todos os empregados. Começava assim sua nova vida, e era o que lhe importava. A antiga não lhe interessava, não havia o porquê para se lembrar, esquivava-se de toda pergunta a respeito de tal. Como se houvesse guardado tudo em uma caixa, e que, esta sim, não poderia abrir. "Deixar para trás qualquer coisa que me prenda a esse mundo, a sentimentos humanos", repete para si até os dias de hoje.

Técnicas:
• Nome da técnica: Nightmares Shadow
• Descrição: Conjura-se uma grande serpente de fumaça negra que ataca o inimigo, abocanhando-o no lado esquerdo do corpo, cravando os dentes no coração, enquanto envolve o corpo da pessoa com o próprio, apertando-o.
• Danos sobre o inimigo: Grande dor na região atingida e dormência em todo o corpo. Perda de sangue e pernas trêmulas.
• Quantidade de cosmo gasto: 40%
• Quantidade de dano (em Hp e/ou Cosmo): 49% hp ou 60% cosmo

Características Especificas de Combate:
(Juízes 600)
Força: 100
Destreza: 100
Cosmo: 200
Inteligência: 200
avatar
Pandora
Pandora
Pandora

Mensagens : 34
Cosmo : 10292
Data de inscrição : 07/12/2011

Personagem
Cosmo:
850/850  (850/850)
Extra: 0
HP:
850/850  (850/850)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum